Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Não estou preparado...



Muitas pessoas se omitem de fazer o bem com a suposta justificativa de não estarem preparadas. 

Segue uma reflexão:

Não é preciso ser santo para fazer o bem, mas é preciso fazer o bem para se santificar. Mario Mas


Entenda a santificação como figurativa, representando melhorar, evoluir.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Psicoterapia Profilática


Podemos melhorar:

o   nossa saúde
o   nossa situação existencial
o   nosso equilíbrio
o   nossos relacionamentos

Quem dá a dica é a benfeitora Joanna de Ângelis:

“O hábito saudável da boa leitura, da oração, em convivência e sintonia com o Psiquismo Divino, dos atos de beneficência e de amor, do relacionamento fraternal e da conversação edificante constitui psicoterapia profilática que deverá fazer parte da agenda diária de todas as pessoas.”

Médium: Divaldo P. Franco
Espírito: Joanna de Ângelis
Livro: Dias Gloriosos p. 81

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 1

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 2

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 3

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 4

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 5

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 6

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 7

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 8

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 9

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 10

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 11

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 12

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 13

Memorias de um Suicida (Yvonne A. Pereira) Parte 14 - FINAL

domingo, 20 de maio de 2018

Poema da Gratidão - Divaldo P. Franco/Amélia Rodrigues

Se você está triste
Se você está em crise
Se você está sofrendo
Se você está sem esperança

Lembre-se que tudo passa
São experiências que iluminam
Você vai sair mais fortalecido
Escute esta mensagem da vida superior que vem em seu socorro




sábado, 19 de maio de 2018

Toda a cultura do Planeta dentro de você



É o que mostra o artigo O Espiritismo pergunta. O que fazemos com este patrimônio?

“Meu irmão, não te permitas impressionar apenas com as alterações que convulsionam hoje todas as frentes de trabalho e descobrimentos na Terra.
Olha para dentro de ti mesmo e mentaliza o futuro.
O teu corpo físico define a atualidade do teu corpo espiritual.
Já viveste, quanto nós mesmos, vidas incontáveis e trazes, no bojo do espírito, as conquistas alcançadas em longo percurso de experiências na ronda de milênios.
Tua mente já possui, nas criptas da memória, recursos enciclopédicos da cultura de todos os grandes centros do Planeta.
Teu perispírito já se revestiu com porções da matéria de todos os continentes.
Tuas irradiações, através das roupas que te serviram, já marcaram todos os salões da aristocracia e todos os círculos de penúria do plano terrestre.
Tua figura já integrou os quadros do poder e da subalternidade em todas as nações.
Tuas energias genésicas e afetivas já plasmaram corpos na configuração morfológica de todas as raças.
Teus sentidos já foram arrebatados ao torvelinho de todas as diversões.
Tua voz já expressou o bem e o mal em todos os idiomas.
Teu coração já pulsou ao ritmo de todas as paixões.
Teus olhos já se deslumbraram diante de todos os espetáculos conhecidos, das trevas do horrível às magnificências do belo.
Teus ouvidos já registraram todos os tipos de sons e linguagens existentes no mundo.
Teus pulmões já respiraram o ar de todos os climas.
Teu paladar já se banqueteou abusivamente nos acepipes de todos os povos.
Tuas mãos já retiveram e dissiparam fortunas, constituídas por todos os padrões da moeda humana.
Tua pele, em cores diversas, já foi beijada pelo Sol de todas as latitudes.
Tua emoção já passou por todos os transes possíveis de renascimentos e mortes.
Eis por que o Espiritismo te pergunta:
– Não julgas que já é tempo de renovar?
Sem renovação, que vale a vida humana?
Se fosse para continuares repetindo aquilo que já foste e o que fizeste, não terias necessidade de novo corpo e de nova existência – prosseguirias de alma jungida à matéria gasta da encarnação precedente, enfeitando um jardim de cadáveres.
Vives novamente na carne para o burilamento de teu espírito.
A reencarnação é o caminho da Grande Luz.
Ama e trabalha. Trabalha e serve.
Perante o bem, quase sempre, temos sido somente constantes na inconstância e fiéis à infidelidade, esquecidos de que tudo se transforma, com exceção da necessidade de transformar.”

Médium: Francisco C. Xavier e Waldo Vieira
Espírito: Militão Pacheco
Livro: O Espírito da Verdade c. 18

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Sofrimento sem Diagnóstico


Muitas pessoas fazem um calvário intérmino nos consultórios médicos e psicológicos, buscando tratamentos para sofrimentos que nem sempre são diagnosticados. Essas ocorrências são conhecidas pelos profissionais da saúde. É desconcertante escutar do especialista que o paciente não tem nenhuma doença, e este alegar que sofre.
A ciência ainda não alcança o Espírito imortal, multiexistencial; não conhece o períspirito; nem atina que nossa sociedade física interage com  sociedade extrafísica, relação esta que reflete no comportamento pessoal e social. A relação entre o mundo físico e o extrafísico se dá por meio da faculdade humana chamada mediunidade, definida por Allan Kardec da seguinte forma: “Toda pessoa que sente a influência dos Espíritos, em qualquer grau de intensidade, é médium. Essa faculdade é inerente ao homem.”1
Uma pessoa não é consequente, exclusivamente, da genética e do ambiente. É originário de uma longa trajetória evolutiva transitada em todas as culturas, etnias, gênero e diversos papéis socias... A personalidade de hoje é a síntese dessa história multimilenar.
As conquistas e desacertos das vidas anteriores refletem na personalidade atual, através de qualidades, culpas, conflitos pessoais e interpessoais. Determinados transtornos são heranças de erros passados. Inimigos “gratuitos” que nos perseguem sem causa atual, são desafetos do passado. Essas heranças do pretérito são, muita vez, os tormentos atuais ocultos.
No livro Reencontro com a Vida, o espírito Manoel P. de Miranda lista algumas enfermidades não alcançadas no exame médico e esclarece o porquê. Diz ele: “Muitas enfermidades de diagnose difícil, pela variedade da sintomatologia, têm suas raízes em distúrbios da mediunidade de prova, isto é, aquela que se manifesta com a finalidade de convidar o espírito a resgates aflitivos de comportamentos perversos ou doentios mantidos em existências passadas.”2 A seguir o benfeitor relaciona as enfermidades físicas e psicológicas:

Área física: “dores no corpo, sem causa orgânica; cefalalgia periódica, sem razão biológica; problemas do sono – insônia, pesadelos, pavores noturnos com sudorese –; taquicardias, sem motivo justo; colapso periférico sem nenhuma disfunção circulatória, constituindo todos eles ou apenas alguns, perturbações defluentes de mediunidade em surgimento e com sintonia desequilibrada. ” idem

Área psicológica: “ansiedade, fobias variadas, perturbações emocionais, inquietação íntima, pessimismo, desconfianças generalizadas, sensações de presenças imateriais — sombras e vultos, vozes e toques — que surgem inesperadamente, tanto quanto desaparecem sem qualquer medicação, representando distúrbios mediúnicos inconscientes, que decorrem da captação de ondas mentais e vibrações que sincronizam com o perispírito do enfermo, procedentes de entidades sofredoras ou vingadoras, atraídas pela necessidade de refazimento dos conflitos em que ambos — encarnado e desencarnado — se viram envolvidos.” idem

Observe se você sofre padecimentos não detectados pelos profissionais de saúde, faça uma leitura de tal situação à luz do Espiritismo que elucida: “Coisa alguma acontece fora das Leis Cósmicas e das necessidades de evolução.” Portanto, veja como indicativo de equívocos do passado que pede reparação por meio da prática do amor. Praticar o amor é acordar para a vida!


Referências:
1. Kardec, A. O Livro dos Médiuns. Tradução J. H. Pires. Lake. cap. 14, item 159. 1991
2. Miranda, M. P. de., espírito. Reencontro com a Vida, página 70. Divaldo P. Franco, médium. Editora Leal. 2006
3. Angelis, J., espírito. Diretrizes para o Êxito, página 89. Divaldo. P. Franco, médium. Editora Leal. 2004.

Mario Mas


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Vontade

A academia da vida dia a dia treina nossas capacidades em situações que parecem sem importância, como conversar com alguém, cultivar a amizade, realizar um curso, fazer um passeio, trabalhar, dar e receber afeto, dizer sim ou não, persistir. Assim, as qualidades internas vão se posicionando: desejo, inteligência, imaginação, memória. O gigante deste time á a vontade!

“Comparemos a mente humana — espe­lho vivo da consciência lúcida — a um grande escritório, subdividido em diversas seções de serviço.
Aí possuímos o Departamento do Dese­jo, em que operam os propósitos e as aspi­rações, acalentando o estimulo ao trabalho; o Departamento da Inteligência, dilatando os patrimônios da evolução e da cultura; o Departamento da Imaginação, amealhando as riquezas do ideal e da sensibilidade; o Departamento da Memória, arquivando as súmulas da experiência, e outros, ainda, que definem os investimentos da alma.
Acima de todos eles, porém, surge o Gabinete da Vontade.
A Vontade é a gerência esclarecida e vi­gilante, governando todos os setores da ação mental.


Só a Vontade é suficientemente forte para sustentar a harmonia do espírito.” Pensamento e Vida - Emmanuel

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Cuidado com as Lembranças Amargas!

Apesar do mal que faz as lembranças desagradáveis, nos permitimos ficar remoendo-os indefinidamente. Leia a advertência do Dr. Bezerra de Menezes a um grupo de recém desencarnados ainda frágeis que estão sendo levados para uma cidade espiritual:

“Pediu-nos calma e decisão, silêncio e prece e, sobretudo, lembrou-nos a obrigação de esquecer qualquer falta mais grave do passado para não cairmos em sintonia com os Espíritos ignorantes, penitentes ou malfeitores... Competia-nos manter harmonia e serenidade em nós mesmos...”

“Acentuou que as reminiscências de crimes transcorridos não deveriam perturbar-nos e que bastaria sintonizar-nos excessivamente com o pretérito para causarmos sérios prejuízos a outrem e a nós mesmos, em circunstância delicada quanto aquela.” Livro Voltei


As lembranças perturbadoras fazem ressurgir emoções desagradáveis, imagens doentias, energias tóxicas, além de evocar as pessoas envolvidas na lembrança, encarnados e desencarnados. E, como alerta o Benfeitor, com tais lembranças entramos em sintonia com malfeitores desencarnados.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

O futuro já começou

O ser humano é um Espírito Imortal que evolui através da reencarnação, as vidas sucessivas. Ao reencarnar o Espírito não é tabula rasa, ele traz em sua bagagem arquivos de milhares de existências que se apresentam como capacidades, virtudes, hábitos, valores, inteligência, tendências, conflitos, equilíbrio, doenças, vocação, talento, dom, destempero que são seus patrimônios evolutivos que o tipificam. Estas aquisições vão refletir na formação da nova personalidade como se fossem comportamentos inatos.
Assim como as conquistas das vidas anteriores contribuíram na formação da personalidade atual, as características atuais são os ingredientes ou os germes da existência futura. O mau-caratismo, a irresponsabilidade, o vício, a intrepidez, a solidariedade, a operosidade, a honestidade cultivados hoje serão as tendências e as aptidões da futura personalidade.
Há situações que desestruturam de tal forma a personalidade que o seu futuro já se desenha dramático como a do homicida cruel e a do suicida que geram desequilíbrios diversos e inevitáveis nos seus pensamentos, emoções, afetividade e no corpo. Seguindo outra vertente, o sujeito ético, altruísta, construtivo está esboçando um futuro de equilíbrio, bem-estar subjetivo, esperança...

Mais alguns exemplos:
Há pessoas que acham que estão no mundo para atenderem apenas os seus interesses e serem servidas - são ego-centradas - o mundo gira ao seu redor. Os outros são apenas apetrechos, trampolins, objetos para promoverem seus desejos. Não fazem nada para o próximo. Nessa centralização de seus desejos doentios e insaciáveis, mais se perturbam, mais querem e nunca se pacificam. Invejam as conquistas alheias e temem perder o que tem, policiam o tempo todo seus haveres. Uma pessoa voltada somente para si mesmo é agradável estar junto dela? Como será seu círculo social no futuro?
Por outro lado, aqueles que já despertaram, aprenderam a sair do egocentrismo desfrutam da permuta e do crescimento do contato com o outro. Aprendem a gerar amizade, simpatia, trocam experiências, afetos. Uma pessoa dessa todos querem por perto. Ela terá boas amizades no futuro?
Você leitor, analisando suas tendências e aptidões atuais como será o seu futuro?

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Álcool e Sementes

Para lidar com as exigências da vida tais como se relacionar, trabalhar, estudar, amar, se comunicar precisamos de instrumentos adequados para realizá-los, que são nossos atributos naturais tais como as inteligências, as habilidades, as capacidades... E onde estão estes atributos? Dentro de nós, em nossa mente. Neste reservatório temos tudo o que precisamos e mais do que imaginamos. Lembre-se que Jesus1 anunciou esta grandeza interna, ignorada, ao afirmar que “Aquele que crê em mim, as obras que eu faço, ele também fará, e fará maiores do que estas...”.
De forma figurativa, vamos nomear os atributos como se fossem sementes portadoras de potencialidades que carregamos em nosso interior. Semente2 é “aquilo que, com o tempo, há de produzir certos efeitos... germe, origem”. Assim, possuímos as sementes da inteligência, da amizade, da capacidade profissional, da maternidade, da honestidade... Temos sementes para todas as demandas da vida, algumas são mais exigidas outras menos dependendo do programa reencarnatório, dos interesses, dos limites e da relação com a existência. Uma mulher que se dedica a família e a maternidade vai desenvolver mais as sementes da maternidade e suas congêneres. Um bancário vai aperfeiçoar mais as sementes das finanças... Além das sementes mais usadas por causa de nossas necessidades atuais, podemos germinar outras em áreas diversas da vida movidos pela curiosidade e pelo prazer em saber.
Algumas pessoas suprimem ou subdesenvolvem determinadas sementes. Por exemplo, uma mulher quer ter um filho e não consegue por causa de um impedimento orgânico. Às vezes ela acaba desistindo de seu desejo e cultiva a agonia ou a revolta. Apesar da frustração, isso não a impede de exercer a maternidade através da adoção de uma criança, ou cuidando e dando amor aos carentes do seu entorno.

No caso do alcoolismo, que sementes o indivíduo deixou de germinar para precisar compensar com a bebida? É baixa autoestima, se acha desinteressante, se julga inferior, se considera incompetente, é tímida, é insegura, tem dificuldades de enfrentar situações difíceis? A bebida não muda para melhor o comportamento dela, ao contrário, estraga! Além disso, traz o mal estar da ressaca, vexames, o autojulgamento de fracassar ao ter que beber para enfrentar a vida.
Durante toda a existência o indivíduo precisa se expor, enfrentar pessoas e situações diversas. Será que sempre dependerá do álcool para fazer isso? E quando não tiver a bebida por perto, não fará nada?
A bebida acaba com sua saúde física, emocional, cognitiva e espiritual, afeta seu rendimento nos estudos, no trabalho, na família, nas amizades. Atraí espíritos alcoólatras que vão sugar suas energias e levá-lo ao esgotamento e a depressão.
Se você utiliza o álcool para se encorajar, não vai desenvolver a semente da coragem. Veja mais alguns exemplos:

  • Você esta com baixa autoestima? Desenvolva a semente da autoestima elevada, aprenda a se respeitar e a se amar.
  • Você se acha desinteressante? Desenvolva a semente dos valores pessoais.
  • Você se julga inferior? Desenvolva a semente de se ver como um ser humano igual aos outros, descubra suas qualidades.
  • Você se considera incompetente? Desenvolva a semente da competência através de cursos, especialização, leitura...
  • Você se sente tímido? Desenvolva a semente da boa autoimagem, da assertividade! Faça teatro, curso de oratória, aprenda a expor suas ideias com ética.
  • Você se acha insegura? Desenvolva a semente da autoconfiança.
  • Você se acha triste? Desenvolva a semente da alegria sendo ético, otimista, se valorizando.


Não substitua seus potenciais pelo álcool!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Descomplicando a Vida

Você já teve dor de dente latejante ou cólica renal? Quando você está com dor, como fica sua disposição geral? Provavelmente comprometida, não é? Agora transfira a dor física para o âmbito psicológico, a tradução da dor na área psicológica é sofrimento, conflito, transtorno, confusão podemos sintetizá-lo como comportamento neurótico. Portanto, uma pessoa neurótica está um pouco alterada internamente com sentimentos confusos, incertezas, medos, etc. Neste estado ela faz uma leitura de sua vida e do seu entorno consoante sua perturbação, quase tudo vai parecer mais difícil. A pergunta que se faz é: o que é mais complicado o mundo ou o modo pessoal de ver a vida? A propósito a psicóloga positiva Barbara L. Fredrickson, no seu livro Positividade, página 28 afirma: “ao contrário das emoções negativas, que limitam as ideias sobre ações possíveis, as emoções positivas ampliam o julgamento sobre elas, abrindo nossa consciência para uma ampla gama de pensamentos e ações. Por exemplo, a alegria desperta a necessidade de brincar e ser criativo. O interesse estimula a exploração e o aprendizado, enquanto a serenidade nos leva a apreciar as circunstâncias e integrá-las a uma nova visão de nós mesmos e do mundo ao nosso redor.”
Alimentar ressentimento, ódio, indiferença, provocar os outros, ver o lado negativo da vida é complicar-se bastante, gerando uma série de tormentos psicológicos, físicos, espirituais e sociais. A pessoa acaba se auto-obsediando pelas fixações doentias, facilitando a atuação do obsessor espiritual.

Quando o Espiritismo propõe os bons pensamentos, as boas leituras, a paciência, o perdão, o amor, etc., não o faz para nos tornar “bonzinhos”, mas para sermos equilibrados, lúcidos, amistosos, confiantes, alegres, otimistas, enfim caminhar para o amadurecimento, descomplicando e facilitando a existência. 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Você é do grupo do Sim ou do Não?

Sim
O que se espera de uma pessoa equilibrada e madura é que seja amistosa, sociável, autêntica, gentil, porque com a maturidade relativa ela já terá resolvido muitos conflitos pessoais. A pessoa imatura, com baixa autoestima, sentimento de inferioridade ou de rejeição, se sente inadequada, desinteressante, e isso a faz sofrer. Uma tentativa de compensar ou de superar esse sofrimento psíquico é querer agradar ou concordar com todo o mundo. São aquelas pessoas que quase sempre dizem sim. Essa criatura na maioria das vezes, a contragosto, quer ser aceita e ser vista como simpática, amistosa, legal, sorridente, sempre disponível, por vezes passando por cima de seus valores. O que vai acarretar negar a si mesma para agradar aos demais? Certamente que algum conflito vai atormentá-la mexendo no seu autoconceito1. A boa imagem que queria passar para os outros fica prejudicada, alterada, portanto sem poder agradar, ao contrário transmite a imagem de falsa, inautêntica, “Maria vai com as outras”. 

Não
Na categoria do Não estão às pessoas que não concordam com nada, contestam tudo ou se negam a dar a sua opinião.
A palavra mais representativa das criaturas que não concordam com nada é a “contraposição”, cujos sinônimos2 são: “atacar, objetar, rebater, retorquir, refutar, desmentir, contrariar, contraditar, rebater, contestar, contradizer, adversar, discutir, opor, disputar.” Parece que estas pessoas estão brigando e se defendendo o tempo todo, não concordam com nada, não aceitam coisa nenhuma. O móvel da oposição ou da refutação não é um posicionamento pertinente, é derivado de tormento pessoal que o marcou como se achar inferior, ter sofrido rejeitado ou padecido algum trauma.
Diferente desses contestadores radicais tem o grupo dos que usam o Não para se omitir, não dão suas opiniões, não sabem de nada, não viram nada, não escutaram nada enfim não querem confusão. Elas se omitem ou ficam em cima do muro pensando que são neutras. Parece que assim elas evitam problemas com os outros, mas a suposta paz é só na aparência porque o seu mundo interno está uma balburdia.

Sugestão de solução: resolver os conflitos e desenvolver novas qualidades.


Nota
1. O autoconceito é quem e o que, em nível consciente ou subconsciente, nós pensamos ser – nossos traços físicos e psicológicos, nossas qualidades e imperfeições, nossas possibilidade e limitações, nossas forças e fraquezas. p. 36 Autoestima e Seus Seis Pilares. Autor: Nathaniel Branden

2. Dicionário de Sinônimos Online – Sinônimos.com.br

terça-feira, 5 de julho de 2016

Eu não pedi para nascer!

O que fazer para agradar uma pessoa ingrata? Nada! Por que ela está doente e não é capaz de reconhecer qualquer gentileza, agrado, carinho... Dar-lhe um presente ou carinho provoca uma reação momentânea de contentamento e em seguida volta ao desagrado. Ela não é agradada com a qualidade e nem com a quantidade de presentes. As pessoas desprevenidas que a amam tentam agradá-la dando muitos presentes, e sempre precisa mais, mais... Como ela é infeliz e não se sacia responsabiliza os outros por sua infelicidade, acusando-os de não compreendê-la, de não fazer as coisas para ela com amor.
Os principais alvos de sua revolta e reclamação são os pais, transferem para eles a responsabilidade pela vida emocional miserável que levam. Costumam ofendê-los e atacam: eu não pedi para nascer! Vocês me colocaram no mundo, agora aguenta! Na cabeça deles os pais são obrigados a dar amor, dinheiro, alimento, roupas, viagens...
Por conta dos seus temperamentos, dos conflitos, da falta de responsabilidade, do desinteresse dificilmente consegue uma profissão que lhes agrade. Entra e sai dos empregos sempre acusando a empresa de explorá-los, de exigir demais deles, etc.
Um caso típico de ingratidão que acompanhei, os pais compraram uma franquia de café para o filho, ele ficou empolgado, parecia que ia se encontrar, que as coisas iriam mudar. No começo foi bem, ele tinha um funcionário em quem jogava tudo em suas costas. Mas tinha um problema, ele estava lá! Sim, ele, o neurótico ingrato estava lá projetando seus tormentos no seu trabalho. A onde ele está ele enchia o ambiente de defeitos, reclamações, desconfianças, provocações... Não demorou para surgir os desentendimentos, a dificuldade de manter uma rotina, logo as vendas diminuírem e fechou o negócio! Ele depressa encontrou os culpados pelo insucesso: seus pais! E acusava: “vocês que me colocaram nesse negócio”, “vocês sabiam que eu não tinha experiência!” “Vocês queriam se livrar de mim...”.
Se esta pessoa fosse colocada em um suposto paraíso, onde tudo é perfeito e ele pudesse desfrutar da plena felicidade e da alegria, iria reclamar dizendo: as pessoas aqui acham graça em tudo, estão sempre sorrindo, não reclamam de nada, parece que não enxergam a realidade, isso soa falso! A realidade que ele acredita e que os outros não veem é a sua, subjetiva, ou seja, seu mundo interno cheio de conflitos, de confusão, de perturbação. Ele acha que o mundo é assim, porque é o que ele sente internamente.

Tudo que se lhe der é insuficiente: presentes, dinheiro, emprego, amizades reais, etc. Seu problema é interno, são os seus conflitos que precisam ser enfrentados. As causas desse desassossego podem ser as experiências infantis sem afeto ou de muito estresse com brigas e ameaças, como também reflexos de vidas anteriores. 

terça-feira, 28 de junho de 2016

Quando as coisas estão bem, algo ruim vai acontecer?

Você conhece pessoas que ficam preocupadas quando as coisas estão indo bem, achando que algo ruim vai acontecer? Elas presumem que existe uma ligação causal entre estar bem X acontecimento ruim! Então, para não correr o risco do inconveniente, elas se protegem evitando falar das coisas boas que estão lhe acontecendo; às vezes não curte o que está ocorrendo; batem três vezes na madeira; ficam de sobreaviso. Isso dá a ideia de que elas não merecem ser felizes, que é errado acontecer coisas boas e por isso serão punidas com algo malfazejo.
Penso, até o momento, que não existe nenhuma associação entre um acontecimento bom, feliz e uma obrigatória consequência prejudicial. Por força das energias boas e da afinidade, as coisas boas atraem situações correlatas, como as ruins atraem seus equivalentes.
Quando algo bom está acontecendo não quer dizer que coisas desagradáveis não aconteçam na sociedade como doenças, desempregos, acidentes, guerras...  Por exemplo, uma pessoa avalia que está num bom momento, a maré está em alta para ela, arrumou um (a) namorado (a), conseguiu uma bolsa de estudo muito desejada, está feliz e com boas perspectivas. De repente recebe uma notícia indesejada no trabalho: foi demitida! Uma pessoa supersticiosa faz a ligação entre a boa sorte e o azar como consequência e conclui: era muito bom para ser verdade! Alguém mais realista, concluiria que é algo natural. Não é por que esta pessoa está feliz e esperançosa que não esteja sujeita a demissão ou a um incidente. Portanto, não foi a felicidade que trouxe a demissão, mas outras questões como sua competência, o interesse da empresa, o mercado de trabalho, etc.

Acredito que uma pessoa supersticiosa faz uma mescla de sentimentos: euforia diante da coisa boa e o medo de perder, somado a sentimentos de desmerecimento e de inadequação. A culpa consciente ou inconsciente (aquela que vem do passado) faz o indivíduo se julgar culpado, errado, merecedor de punição.