Barra de vídeo

Loading...

domingo, 7 de março de 2010

E-mail = bom ou mau?

Você é uma pessoa boa ou má?  Você é uma pessoa do bem ou do mal?
Você está comprometida com a transformação pessoal e social?
Ao receber e-mail com conteúdo chulo, grotesco, nocivo, perturbador, etc., você repassa adiante? E sobre aqueles que desqualificam personalidades públicas e instituições, você também contribui com a chacota? Você acha engraçado e quer compartilhar com seus conhecidos espalhando mais sujeira? Ou talvez seja uma forma de contestar? É possível se felicitar a custa da humilhação alheia ou contestar denegrindo alguém? Isso é sadio ou mórbido? Isso não está carregado de sadismo? Será que não existem formas mais criativas e construtivas?
Vamos seguir uma linha de raciocínio, se alguém se compraz, se delicia, se diverte com o sofrimento, a perturbação, a dificuldade alheia, ela está bem? Não é um prazer doentio? É assim que o mundo vai melhorar?
Você passa adiante esses e-mails porque “todo mundo” faz isso? Mas você é “todo mundo”? Sua identidade tem o mesmo número de todo mundo? Você não tem identidade própria? Você é mais um na massa impensante?
A lei de causa e efeito rege nossas vidas no processo evolutivo, tudo que fazemos conscientemente somos responsáveis. Quando contribuímos em denegrir alguém, somos co-responsáveis por tudo que venha a acontecer a ele e aos seus dependentes ou familiares que sofram por esta ação. Por outro lado, a pessoa que recebe nosso e-mail e se assusta, se apavora, se deprime, se desespera pelo conteúdo que lhe enviamos, somos responsáveis pelos males que lhe venha acontecer. Já pensou nisso?
Você acha que vivemos numa desordem, que não há leis, que cada um faz o que quer e fica por isso mesmo? Se assim fosse como haveria progresso? Por que tem tanta gente sofrendo limites psíquicos e físicos, restrições afetivas, etc.? Aqueles que no passado abusaram do livre arbítrio, foram egocêntricos, egoístas de pensar somente na sua diversão, nos seus interesses em detrimento dos outros, hoje carregam enfermidades, limites, dificuldades... E não aprendemos nada com isso? Até quando vamos dormir na inocência?
Se você quer um mundo melhor, aprimore seus interesses, suas leituras, suas companhias, sua comunicação...


Lembre-se de que o mal não merece co­mentário em tempo algum. Sinal Verde – André Luiz

Todas as nossas aspirações movimentam energias para o bem ou para o mal. Entre a terra e o céu – Clarêncio 

2 comentários:

  1. Creio que me conheço bem...as vezes penso que sou uma ótima pessoa outras tantas pessíma,mas estou me esforçando a caminho da evolução,estudo bastante ..as vezes percebo o erro do outro...mas segundo vcs (os psicilogos)qdo vemos erro nos outros é nosso erro refletindo... então o errado sou sempre eu...procuro não julgar ...qto o lixo da internet ,não dou atenção...mas ainda fico curiosa em abrir uns emails...mas resisto..nunca repasso...pode ficar tranqyuilo..rs

    ResponderExcluir
  2. Querido que belo texto,obg!!!
    Texto para refletir.Como não somos bons ainda!!!Mais seremos um dia pq estamos condicionados a felicidade.Os espíritas devem perder a timidez de uma vez verdadeiramente e encararem o fato de ainda estarem olhando para o próprio umbigo...Por isso tantas "pipocas" de centro ainda existem,eu fui uma!!!Ui rssssssssss.Que bom o não desistir dos estudos e que bom saber emanar a dor na hora certa,encontrei "vcs",vi sua 1ª palestra no site da Fraternidade Francisco de Assis.Sempre recebia e-mails de lá com mensagens fraternais.
    Sem dúvidas repassarei um e-mail muito bom...um com o link do teu Blog para meus amigos,todos os que eu tenho armazenados.

    Abraços.

    ResponderExcluir