Barra de vídeo

Loading...

sábado, 17 de setembro de 2011

Distração Existencial


Você sabe o que é distração existencial? É estar descuidado, desatento, alheio a vida. É a pessoa que é vivida e não vive, empurrada pelos acontecimentos, ao deus-dará. Quem decide sobre sua vida? O seu inconsciente/hábitos, seus pais, seu cônjuge, os obsessores, as ideologias, as crenças, os amigos, a empresa, a religião, o time de futebol, a cultura, o sexo, o dinheiro, o status, o corpo perfeito? Até quando você vai caminhar para lugar nenhum? Você quer o vazio, a angústia como troféu?

Joanna de Ângelis no livro O Ser Consciente disserta:
“As distrações habilmente se disfarçam, justifican­do trabalho exaustivo, repouso demorado, conversações prolongadas, caminhadas e ginásticas que con­somem horas, e que, não obstante úteis, desviam da meta essencial que é o despertamento de si mesmo.
Há uma generalizada preferência humana pelas distrações, pela fuga da realidade, consumindo-se tempo e saúde no secundário, com desconsideração ou por ignorância do essencial.” 

A distração é a preferência pelo supérfluo, pelo periférico, pelo superficial que evita o despertamento pessoal.
Despertar implica acordar, manifestar-se, revelar-se diante da vida. Realizar sua missão, seu destino, sua atualização – ser você - e não ser uma aparência, um fantoche, uma Maria vai com as outras. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário