Barra de vídeo

Loading...

sábado, 3 de maio de 2014

Excesso de Preocupação

Precisamos aprender a parar e a se recompor quando a vida fica tumultuada, porque a tendência é gerar mais tormentos com o excesso de preocupação que leva a fixação mental no problema, ao descontrole emocional, a somatização, a agressividade ou a reclusão. Este estado compromete o discernimento e a ponderação. Conforme o grau de desequilíbrio da pessoa, conteúdos de vidas passadas - que estão arquivadas no inconsciente -, podem fluir para o consciente ou a mente atual gerando mais perturbação. Um exemplo de tal descontrole é dado por Victor Hugo, no livro Árdua Ascensão, psicografado por Divaldo P. Franco, com a personagem Augusta que havia perdido a mãe e enfrentava as próprias angústias. Com isso o “eu espiritual rompeu-lhe os depósitos do inconsciente, onde se arquivam as existências pretéritas, passando a viver conflitos difíceis de ser elucidados. Misturavam-se-lhe, no campo das ideias, as impressões mais vigorosas do ontem, portanto, mais deprimentes, com os acontecimentos atuais, atordoantes e desagradáveis.” Se no momento presente passamos por apuros não podemos piorar a situação para não acontecer como no caso da Augusta, para não ficarmos sobrecarregados. Precisamos aprender a buscar ajuda com um amigo, no Centro Espírita, por meio da prece, na psicoterapia...

Vamos lembrar que as provas não se excedem às nossas forças para enfrentá-las. No entanto, podemos piorar nossa vida ou melhorar de acordo com o uso inteligente de nosso livre arbítrio. 

2 comentários:

  1. Mario,

    Identifiquei-me com as descrições e análises feitas. De fato, o tormento torna-se insuportável, dissolve nosso discernimento e a nossa capacidade de racionalizar as coisas. Torna-se tudo uma grande confusão na nossa cabeça, sobrevém o desespero, a angústia e a incapacidade de agir com ponderação, cautela e comedimento. Agrava-se ainda mais, quando nos deixamos entregues ao problema, sem buscar ajuda, ou se buscamos, não nos permitimos "parar", como você citou, para que o auxílio procurado possa surtir efeito. É preciso dar-se um tempo para respirar e confiar que tudo se resolverá no tempo certo, ou enlouquecemos e atraímos doenças e maiores complicações.

    Muito melhor falar e testemunhar, quando já vivenciamos o problema.

    Abraços

    Cristiane

    ResponderExcluir
  2. Krys

    Como diz o Chico Xavier, "tudo passa".

    Abraço

    ResponderExcluir